28 August 2006

Era uma vez...

Como em todas as histórias, também a narrativa que envolve o projecto “The Mystery Artist” começa com tradicional chavão “Era uma vez”.
No entanto, os contornos que deram origem aos “The Mystery Artist”, tal como hoje os conhecemos, são demasiado extensos e complexos, pelo que, prometo ser breve. A nossa já vasta legião de 52 leitores deste panfleto informático assim o exige.
Caso contrário, se decidisse recorrer à chamada “posta testamento”, o mais natural, seria ver os nossos leitores de corpos estendidos horizontalmente em cima dos seus computadores, a babarem-se de forma abundante em cima dos teclados.
Adiante.

O mentor.
Trata-se de um projecto que foi concebido entre Portugal e Luxemburgo pelo M.. Ideias existiam, o conteúdo musical era opulento, a vontade de tocar era mais que muita. Face a isto, sozinho no seu quarto, o M. decide registar tudo o que tinha, e com os recursos que possuía, gravando todos os instrumentos e voz. A semente estava lançada.
No entanto, para que tal projecto saísse do quarto era preciso mais alguém. Foi então que o M., ainda no Luxemburgo, decide recrutar mais três elementos, que juntamente com ele, e aos poucos, começam a dar corpo às ideias que existiam, e a gerar o “The Mystery Artist.
Em fins de Junho de 2006, surge a oportunidade de se estrearem em palco no Luxemburgo, oportunidade que decidem agarrar com as duas mãos, dando um concerto bastante aceitável, tendo em conta que era a primeira vez que se apresentavam ao público e juntos pisavam um “palco” (tem que ser entre aspas, porque aquilo foi mesmo no chão, sem palco!).
Eu não estive presente, mas a avaliar pela reacção do público no final de cada música, via-se que o pessoal estava com a banda e a curtir o concerto.
Bem... nem todos... Em certas partes da gravação que me foi dada a ouvir, é perceptível que há algumas pessoas que estão essencialmente interessadas em comer. Prioridades!
De qualquer forma, a coisa começava logo com uma internacionalização. Prometia!

Eu, o Sá e o Peter.
Enquanto no coração da Europa nascia um novo projecto musical, na Península Ibérica, mais concretamente na “Ibicta” cidade do nosso Portugal, eu, o Sá e o Peter, depois de uma experiência nos EsTro, (uma banda essencialmente direccionada para o típico rock cantado em português que continua no seu período sabático, sem sabermos ao certo se algum dia de lá irá sair...quando se nasce com o rótulo de banda abandalhada, não se pode defraudar as expectativas!) andávamos literalmente a vaguear de sala em sala de ensaio. A vontade de continuar a tocar era mais que muita, mas a ausência de um projecto que nos cativasse, aliado à letargia de ideias, e aos afazeres mais ou menos profissionais de cada um, fazia com que dos nossos ensaios saísse pouco mais que €€€€ dos bolsos pra pagar a sala, e algum fumo...de tanto penZar!
Entretanto, e como já há muitos anos que conhecia o M. do Luxemburgo, fruto das minhas vivências por aquelas paragens, restabeleci o contacto com ele via messenger, canal que serviu também para ele me passar todas as músicas que entretanto havia gravado.
Ouvi o som e gostei.
Mais tarde, passou-me o concerto que havia dado no Lux. e foi então que a título de curiosidade, e numa das tais sessões de messenger, decidi propor ao M. se ele não estaria na disposição de apresentar o projecto “The Mystery Artist” entre nós, na Tuga.
Depois de ter aceite o convite na hora, consultou os outros elementos que havia recrutado, os quais por sua vez, não alinharam na ideia.
Conclusão: para a coisa ser exequível faltava outro guitarrista, um baixista e um baterista.
Face a esta condicionante, e como o M. estava mesmo determinado em concretizar o convite que lhe havia feito, tratei de arranjar o resto do staff, e nessa matéria, só podia olhar para os abandalhados EsTro.
Como diz o ditado: "Temos que ser uns prós outros!"
Daí, pesquei o Peter, que disse logo presente, e o Sá, que me exigiu logo as músicas e as correspondentes letras para as adaptar ao seu Fender.
Entretanto o concerto que existia, multiplicara-se, e passamos a ter duas datas confirmadas. Uma em Mirandela e outra em Carrazeda de Ansiães. (A seu tempo virá uma posta dedicada a cada um destes marcos musicais!)
O M. regressa do Lux., marca-se um ensaio, apresento-lhe os outros 2 artistas (e que artistas!), ensaiamos pela primeira vez todos juntos, ensaiamos mais uma vez, e estamos prontos para a estrada!
Estava encontrada a fórmula!
mARK


Aqui fica o cartaz da primeira aparição pública dos "The Mystery Artist" em território nacional, no caso em Mirandela.
Sai uma alheira!

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home