11 March 2008

E o feliz contemplado foi... eu próprio!

Há tempos o M. lançou o desafio, para cada um de nós escolher 2 temas que gostaria de tocar na banda brevemente, de modo a termos duas novas covers.
A concretização desse desafio, sucedeu no último ensaio, via sorteio. Cada um escreveu em dois pequenos papéis os nomes dos temas que pretendia, que de seguida foram colocados no interior do meu boné e tirados à sorte.
Primeira escolha: um tema dos Therapy? - "Me Vs You", que eu havia escolhido.
Segunda escolha: um tema do Neil Young - "Rocking In The Free World", que... eu também havia escolhido!
Resumindo: cada tiro cada melro!
O resto da banda, lá teve que se resignar com a sua falta de sorte, e começar a pensar nos novos temas, escolhidos pela minha pessoa.
Assim sendo, como sei que alguns não conhecem bem o trabalho das bandas que escolhi, vamos lá a uma pequena lição.
Ora, se o Neil Young dispensa apresentações - artista oriundo do Canadá, mundialmente conhecido, com início de carreira no final dos anos 60, que se estende até aos dias de hoje. Com algumas dezenas de discos no seu historial, quer a solo, ou integrado noutros projectos, é um nome incontornável da arte musical - já os Therapy?, posso adiantar que são uma banda oriunda da Irlanda, que acompanho quase religiosamente há muitos anos, e que tiveram alguma projecção internacional nos inícios dos anos 90, principalmente a partir da edição do albúm "Troublegum" em 1994.
A ausência de qualquer oportunidade de ver Neil Young ao vivo, é compensada pelo facto de já ter visto Therapy? por três vezes no nosso país. A primeira foi no Festival Sudoeste em 1998, onde entre outros tocaram também os The Cure e os Sonic Youth por exemplo. Grande cartaz o desse ano!
Um ano mais tarde, voltaria a vê-los, desta feita no agora extinto Hard Club de Gaia, com meia casa, e com a maior parte do público a revelar algum desconhecimento do trabalho dos rapazes irlandeses, que na altura andavam a promover o seu disco "Semi-Detached" lançado em 1998.
Lembro-me que antes do concerto, houve uma sessão de autógrafos na extinta Virgin Megastore do Via Catarina, na qual marquei presença. Ali tive o prazer de tirar algumas fotos com a banda, de ver os meus discos todos autografados e ainda de estar alguns minutos a falar com o vocalista. Revelou-se um tipo muito porreiro. O povo era pouco, por isso deu para tudo. A conclusão que me ficou dessa curta conversa, foi que os Therapy? são de facto a imagem do seu vocalista: simples, pacatos, sem vedetismos mas ao mesmo tempo cativantes.
Em cima do palco, estão no seu habitat e não dão hipótese. Pessoalmente acho que são imparáveis e não há dúvida de que fazem jus ao nome, de serem uma verdadeira banda de Rock n' Roll.
A terceira e última vez que vi os Therapy?, foi no dia 10 de Agosto de 2002 no Carviçais Rock, um Festival que começou a criar alguma tradição em Trás-os-Montes, e que entretanto se extinguiu. Quanto ao concerto dessa noite, posso dizer que os rapazes não defraudaram as expectativas dos muitos festivaleiros que como eu, ali se deslocaram para os ver, numa altura em que a banda aproveitou para tocar alguns temas do disco que haviam lançado em 2001 intitulado "Shameless".
Aqui estão eles em acção.

A seguir, deixo-vos com o Neil Young, com o tema que eu escolhi, mas aqui muito bem acompanhado pelos Pearl Jam, numa das primeiras apresentações na tv ao vivo, da banda de Seattle.
É o registo do apadrinhar do "cota" à malta , que na altura estava a começar.

Curtam!

MARK

A terminar, recordo-me que no concerto dos Therapy? no Hard Club, a determinada altura, no intervalo de um dos temas, o vocalista, já não sei a que propósito, pediu que alguém do público lhe dissesse, que nome se dava em portugês, ao chamado, orgão copulador masculino... Ora, como toda a gente falou ao mesmo tempo, e ele continuava sem preceber, não tem mais nada, pega no micro, e inclina-o para um dos elementos da audiência que estava colado ás grades a assistir ao concerto, que não se faz rogado e diz alto e em bom som, a palavra Pi...
Risada geral.
Um pormenor: esse contemplado, fui eu!

4 Comments:

Blogger tecka said...

acho que o boné tava viciado!!! boas escolhas ;)

12 March, 2008  
Blogger The Mystery Artist said...

Foi do meu cabelo! :)
MARK

20 March, 2008  
Anonymous Anonymous said...

Sim, uma bela música de Neil Young. Um clássico do Rock! Nesta expressão: "...que na altura estava a começar." refere-se á banda como um conjunto correcto? Porque o baixista Jeff e o guitarrista Stone ja tocavam desde Mother Love Bone.

Nuno Teixeira

28 April, 2008  
Blogger The Mystery Artist said...

Sim, refiro-me apenas à banda Pearl Jam, caro Nuno.
Quanto ao resto, tens toda a razão.
MARK

07 May, 2008  

Post a Comment

<< Home